A IMPLANTAÇÃO DO PJE E A PERSPECTIVA DE DINAMIZAR A ROTINA DOS SERVIDORES DA COORDENADORIA DAS CÂMARAS CÍVEIS ISOLADAS

  • Adrivanderson Martins Santos
  • Ana Neres dos Santos Cantanhede
  • Maycherson Alexandre Franco Santos

Resumo

Este artigo investiga o impacto da implantação do Processo Judicial Eletrônico (PJe) e a perspectiva de dinamizar a rotina dos servidores da Coordenadoria das Câmaras Cíveis Isoladas do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão (CCCI). Utilizou-se uma pesquisa qualitativa e quantitativa, através do método estatístico-descritivo, aplicado através de questionários aos servidores na CCCI. A análise dos resultados estabeleceu um diálogo com as temáticas discutidas no referencial teórico. Tratando-se de uma quebra de paradigma, a adesão do PJe não deve ocorrer sem resistência. No entanto, após conhecer suas vantagens, é provável que a grande parte dos operadores do Judiciário admita sua importância e a necessidade de sua implantação o mais rápido possível. Apresentou também que, na percepção dos servidores da CCCI, o processo eletrônico é um grande avanço no Poder Judiciário Maranhense, sendo que redução de custos, celeridade processual, transparência e facilitação do acesso à justiça foram os aspectos mais positivados. Demonstrou-se, ainda, que o TJMA precisa melhorar o treinamento em PJe, pois, embora a maioria dos servidores tenha obtido treinamento, ainda existe dificuldade em utilizar o sistema. Ao final, evidenciou-se que o processo judicial eletrônico virá a alterar profundamente a rotina de trabalho dos servidores dessa coordenadoria.

Publicado
2019-05-07
Como Citar
Santos, A., Cantanhede, A., & Franco Santos, M. (2019). A IMPLANTAÇÃO DO PJE E A PERSPECTIVA DE DINAMIZAR A ROTINA DOS SERVIDORES DA COORDENADORIA DAS CÂMARAS CÍVEIS ISOLADAS. Revista Da Esmam, 11(11), 75 - 97. Recuperado de https://revistaesmam.tjma.jus.br/index.php/esmam/article/view/67